Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



"Lie to me": uma série muito útil

Quinta-feira, 04.03.10

 

Já aqui falei nesta série Lie to me, mas não cheguei a evidenciar toda a sua utilidade.

Trata-se essencialmente de um grupo de investigadores que apoia o trabalho policial, sobretudo nos interrogatórios. Tim Roth é muito convincente no papel de Dr. Cal Lightman. E as restantes personagens são complexas q.b. e nem sempre seguem as regras, o que torna a série mais credível. Os diálogos são cuidados e adequados. E as situações são muito actuais, cobrem uma realidade que está aí, como a escravatura urbana camuflada (no episódio mais recente que vi, por exemplo, abordou o problema dos imigrantes sem protecção social e, mais especificamente, as barrigas de aluguer).

 

Ora bem, como estudiosos da comunicação não-verbal, sobretudo da expressão facial, conseguem identificar, com uma mínima margem de erro, as emoções básicas como o ódio, a raiva, o desprezo, a vergonha. E algumas mais difíceis de captar, a que eles chamam micro-expressões, pormenores tão subtis que escapam facilmente ao investigador mais treinado, como o desgosto ou a mágoa, importante no caso do suicida potencial.

Mas o mais interessante é mesmo a diferenciação da verdade da mentira. Incrível. Conseguir identificar a mentira na expressão facial, a partir de diversos movimentos dos músculos faciais.

 

Sempre fixei a minha atenção na voz, treinei-me desde que me conheço para distinguir timbres, entoações, tonalidades, cores, das vozes mais diversas. Assim como pronúncias, entretenho-me, por exemplo, a identificar os locais de origem das pessoas. A sério!

E não apenas vozes do meu quotidiano, digamos assim, também as vozes dos actores, por exemplo. Identifico-os pela voz. 

Também me treinei para pressentir as emoções pela voz. Raramente me engano.

 

Mas na expressão facial, sou uma ingénua. Frente a frente, tendo a acreditar e a confiar no que me dizem. Isto é, na presença da pessoa, parto sempre do princípio que não tem qualquer razão para mentir.

É estranho e paradoxal, detectar mais facilmente a mentira à distância e pela voz, do que na presença da pessoa. E mesmo que alguém me diga que o que me disseram não corresponde à verdade, ainda assim hesito. Estranho, não é?

Por isso gosto tanto desta série! Já aprendi umas coisas. Pequenas nuances em que geralmente não reparamos.

Penso que da próxima vez já conseguirei detectar uma ou outra mentirita. Não é por nada, a maior parte das vezes, as mentiras são inofensivas e até amáveis, mas quando for o caso de alguma mais significativa e que possa fazer alguma diferença, não voltarei a cair que nem uma patinha...

 

A série passa às 4ªs feiras, na FOX, sempre depois das 22:00.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ana Gabriela A. S. Fernandes às 16:29


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.








comentários recentes



links

coisas à mão de semear

coisas prioritárias

coisas mesmo essenciais

outras coisas essenciais

coisas em viagem


subscrever feeds